Nota de agradecimento ao pastor Ruberval e a sua legião de santos!!


 “Foi preciso eu adoecer para entender o quanto sou amada”


        
Esta foi à frase que minha esposa, meu filho e minha filha ouviram de minha irmã, Elzimária, numa tarde do mês de março, enquanto estava internada na enfermaria do Hospital do Guará. Elzimária havia sido internada poucos dias antes de afirmar: “Foi preciso eu adoecer para entender o quanto sou amada.” Ela expressou esse sentimento em primeira mão para o seu líder espiritual o pastor Ruberval Alves oliveira, presidente da igreja Assembleia de Deus, localizada na área especial 6/8 da Ceilândia norte.

Ao reconhecer a intensidade do amor da irmandade religiosa no leito de dor, Elzimária não estava afirmando não ter se sentido amada no período de bonança, e sim valorizando a importância da presença de cada um de vocês, enquanto igreja, no seu momento de maior fragilidade. Afinal, são nos momentos de grandes tribulações que se conhecem os verdadeiros amigos, a verdadeira fraternidade.
                Depois desta afirmação minha irmã resistiu por mais ou menos um mês e dez dias, vivendo numa constante peregrinação entre o hospital, casa e hospitais. Durante todo esse tempo, não obstante a constante companhia da dor, amenizada por doses de morfina e de medicações S.O.S., manteve o sorriso e o bom humor. Em nenhum momento de seu martírio particular ela esboçou qualquer arremedo de reclamação.
                Durante o período de sua e internação e “passamento” foi dispensado a ela atenção que o momento exigia por parte da família e também por suas irmãs e irmãos de fé. Os irmãos da Assembleia de Deus fizeram-se presentes durante os momentos mais difíceis da vida da minha Irma Elzimária. Vocês expressaram da maneira mais concreta os ensinamentos de Jesus Cristo: amai-vos uns ao outros como eu vos amei.
                Nossa família, representada pela missionária Ilda, nossa mãe, vem agradecer toda manifestação de apoio, amor e carinho que foi proporcionado a Elzimária e a todos nós. Agradecemos todos os membros da igreja Assembleia de Deus, na pessoa do pastor Ruberval, sua esposa Fernanda e sua legião de santos. Vocês são muitíssimo importantes para  missionária Ilda, para nós, os filhos, e para seus netos e bisnetos.
                Obrigado e que Deus continue abençoando-os!

Edvair Ribeiro dos santos 04/05/2017

Revisão: Lana Luiza
Continue Reading

Elzimária, dorme o corpo, desperta a alma!...


                Ontem, dia 28/04/17, às quatro horas e quarenta e três minutos da manhã, na enfermaria Quero-quero do Hospital de Apoio de Brasília, depois de uma luta desigual contra um tumor no estomago, Elzimária Ribeiro dos Santos (47 anos) deixou de respirar. Elzimária era natural da, hoje, cidade de São Sebastiao, nasceu na fazenda Taboquinha nas margens do córrego Mata Grande. Era a única filha mulher de uma prole de 11 irmãos (quatro deles em memoria), morava no setor norte da Ceilândia com a mãe, três irmãos e vários sobrinhos e sobrinhas, dos quais cuidava com zelo de mãe.
                Antes de ser transferida para o hospital de apoio, Elzimária perambulou por várias unidades de saúde do DF. A saber, Hospital do Guará, Hospital de Base, de volta pra casa, UPA Ceilândia, Hospital da Ceilândia, Hospital de Taguatinga e, por último, Hospital de Apoio de Brasília. Permaneceu nesse último por quatro dias, onde recebeu atenção especial da família, dos amigos e da equipe de profissionais da unidade hospitalar. Nesta unidade, na madrugada de sexta-feira, seu corpo físico parou de funcionar, liberando sua alma para a paz da eternidade celestial, da qual fielmente ela acreditava.
               

Foi-se encontrar com os quatro irmãos que a precederam na viagem para o céu. Vai deixar o vácuo da saudade nos corações da sua mãe, dos seus seis irmãos e dos seus amigos-irmãos da fé religiosa, que aqui permanecem com a missão de continuar conduzindo  o carro da existência. Minha irmã Elzimária deixa espaço vago, ausência sentida, Elzimária jamais será esquecida!


"Elzimária não teve flhos
não agraciou o mundo 
com o legado de  sua semente 
da  sua beleza como ser gente"



Edvair Ribeiro dos santos


Revisão: Lana Luiza
Continue Reading

HOMENAGEM PÓSTUMA PARA O PIONEIRO E AMIGO WILSON CHAPOLIN.



No último domingo são Sebastião perdeu mais um pioneiro, eu perdi um amigo e o projeto memórias oleiras perdeu mais uma fonte informações.  Morreu Wilson Vieira Machado, ou "Chapolin" como ele passou a ser chamado pelos amigos e colegas de serviço, da antiga Madeireira Belo Vale, onde  ele foi trabalhar após deixar a lida das olarias no início da década de noventa.

                                                                   




Na empresa,madeireira Belo Vale Wilson começou como carroceira fazendo pequenas entregas, passou para a função de ajudante de caminhão e depois de tirar a CNH foi classificado como motorista.  


No trabalho, Chapolin era uma pessoa querida, pelos colegas e o patrão.  Essa afeição se estendia para toda sua rede de relacionamento na cidade de são Sebastião. Ao sair da empresa por vontade própria, juntou economias, comprou uma Kombi e imigrou para a iniciativa privada no "ramo" dos fretes

Wilson "Chapolin' foi uma dessas pessoas cujo 
nome estará ficará indelevelmente gravado na memória das pessoas mais antigas de são Sebastião. Natural de João Pinheiro MG, ele veio para região da papuda hoje são Sebastião no início dos anos setenta, é filho do Sr João vieira, vulgo João mineiro e Dona carmelita vieira (ambos em memória). O pai João mineiro, também exerceu a atividade oleira na antiga papuda. O ofício de oleiro foi assimilado como uma imposição natural baseada na rotina diária do patriarca.



Wilson foi mais um dos madrugadores das lida das olarias. Fez parte do grupo de pessoas que varou altas madrugadas, pipando, cortando e queimando fornos e caieiras de tijolos maciços, contribuindo pra tornar realidade o sonho de dom Bosco. Portanto, foi também para Wilson "Chapolin" que foi criado o projeto memórias oleiras. Infelizmente ele partiu sem dar o seu depoimento a dar sua versão no processo da construção de Brasília e da criação da cidade de são Sebastião.  

Ao partir, o Wilson "Chapolin" deixa um vácuo impreenchível, deixa-me órfão de um amigo, deixa vago o parágrafo lhe cabia no projeto, deixa vago seu lugar no ponto dos freteiros. sobretudo deixam órfãos as pessoas mais importantes durante sua existência, seus parentes   consanguíneos; que são sua esposas, filhos, netos, irmãos e afins.  mas deixa vivo em nossas memórias sua simpatia,  companheirismo, enfim, toda soma de motivos que o tornará para nós eterna saudade.

* A foto a abaixo não foi postada ao acaso, ele mostra o local hoje chamado Morro azul onde eu conheci Wilson "Chapolin," conduzindo seu fusca amarelo no inicio dos anos 70.


Edvair Ribeiro dos Santos 20/03/2017     
Continue Reading

O SONHO SOCIALISTA CONTINUA....


Companheiros e simpatizantes do PSB visitam os mitos vivos do socialismo: Sebastião e Aparecida Abreu.






 Chácara Grotão, Capão Cumprido, São Sebastião-DF.  Poderia ser apenas uma referência para determinar a localização de uma simples propriedade rural da Região Administrativa de São Sebastião, essa do Distrito Federal. Poderia, mas não é!Na chácara Grotão reside Sebastião de Barros Abreu e dona Maria Aparecida de Andrade Abreu, dois ícones da resistência socialista.
Sebastião e dona Maria Aparecida doaram seus sonhos e suas juventudes para a causa socialista,com o intuito de construir uma sociedade mais justa, humana e igualitária onde, o bicho gente, a espécie humana, seja valorizado pelos simples fato de ser gente independente do gênero, etnia ou camada social.
Dona aparecida é natural de Belo Horizonte – MG, Dr. Abreu é natural da Cidade de Goiás, antiga capital goiana, e por uma dessas felizes coincidências,foram unidos na juventude pela mão invisível da militância socialista. Apaixonaram-se, afinal os comunas também amam, e impulsionados pelo sonho comum,dedicaram juntos a referida causa. Hoje, dona Aparecida conta 80 anos e Dr. Abreu 90 anos, considerando que ela entrou na militância com 14 anos e ele com mais ou menos dezesseis, isso lhes dá uma soma de 142 anos de militância socialista. Conheceram-se, namoraram, casaram, geraram filhos e os criaram, ganharam netos, e tudo isso,regidos pela batuta do socialismo.
Ontem,dia 15/03/às 19 horas, atendendo a uma sugestão do companheiro Albano,que logo foi acatada pelos companheiros Waldir Cordeiro e Luís Fuguete, que somaram forças com o companheiro Daniel e mais um grupo de 17 pessoas composto por militantes, filiados do partido socialista e prováveis futuros filiados, se deslocaram para a Chácara Grotão. Os primeiros foram visitar e beber na fonte dos saberes dessas duas sumidades, e mesmo que os outros ainda que não tivessem uma ideia da real dimensão, da importância histórica desses mitos-vivos, foram para conhecê-los,movidos primeiro pela curiosidade e segundo pela etiqueta em aceitar o convite. Ao chegar, os visitantes foram recebidos com a cordialidade e simpatia própria dos anfitriões. Após as apresentações dos visitantes, Dona Aparecida Abreu e o Dr. Abreu discorreram um pouco de suas historias. Enfatizaram importância da consciência socialista,da seriedade e do compromisso com a causa, que ambos têm embasamento de sobra para falar, uma vez que, eles ainda dedicam suas vidas ao ideal socialista. Ainda que o tema possa parecer pesado para não iniciados, a conversa se desenvolveu com naturalidade e foi acompanhado com evidente atenção por todos os presentes.

Sebastião de Barros Abreu é o presidente de honra do PSB-DF, Dona Aparecida pode ostentar, com honras, o título, ainda que oficioso, de primeira dama do socialismo brasileiro, por sua militância concreta nas fileiras do socialismo.  Aparecida e Abreu, dois seres que somam 170 anos de existência, ainda são movidos por sonhos, entre eles, a construção de um mundo melhor.Dona Aparecida, nesta noite memorável concluiu: “A presença de vocês aqui prova que o sonho socialista não morreu.” É isso o que o socialismo é em sua essência, alimentado por sonho, sonhos que não morrem! Porém, tornar sonhos em realidade depende da motivação, da persistência e da garra dos sonhadores. A busca dessa é motivação pode ser encontrada mirando no exemplo de pessoas assim, como Aparecida e Sebastião Abreu.

Edvair Ribeiro dos Santos- 16/03/2017




Continue Reading

Homenagem póstuma para a pioneira,Tereza Evangelista.


Homenagem póstuma para a pioneiraTereza  Evangelista.

Hoje dia 08 de março de 2016, após ser velada na beira da sepultura por oito pessoas sendo elas seis familiares e dois amigos, foi sepultada, no cemitério do campo da esperança na asa sul de Brasília, aos sessenta e quatro anos de idade, Tereza Evangelista.

Que é ou foi Tereza Evangelista?... Poderá perguntar alguém, respondo; foi uma pessoa comum na antiga papuda hoje São Sebastião, não teve a alcunha de líder comunitária, não participou de grandes manifestações não recebeu menções, nem medalhas de políticos.
Resumindo foi uma pessoa extremamente comum.   Então por mencionar a morte sepultamento de Tereza? ... Continuo a responder, entre muitos motivos eis aqui alguns:

Tereza foi
Irmã de Dulina
De Maria
De mariana
Mãe de Paulinho
Tia de Zé Francisco
E do Pedrinho.
Todos moradores antigos
E filhos região
Tereza foi simples
Mas foi gente
Nasceu cresceu sonhou
Amou e um único filho gerou
Envelheceu e enferma morreu


E durante toda sua existência Tereza morou nesse local hoje chamado de são Sebastião, esse fato fez com que sua pessoa fosse conhecida por todos os moradores antigos.
Sim Tereza era uma pessoa simples, mas ressalto, firmado nos fatos bíblicos que foram por  pessoas  como Tereza, que Jesus cristo veio ao mundo, foi principalmente com essas pessoas ele andou, amou, por elas ele viveu e defendendo-as, morreu.
Fica do consolo que existindo um céu, nele Tereza está e ao lado de Jesus.  Parafraseando o poeta, John Donne.
“A morte de qualquer
Pessoa me diminui
Porque sou parte
 Do gênero humano
Por isso, ainda que não perguntem
Por quem os sinos dobram
Afirmo;
 No céu os sinos dobram
Por Tereza.”


Edvair Ribeiro em 08 de março de 2016
Continue Reading

São Sebastião precisa aprender valorizar seus heróis




Li certa vez, no rodapé de uma folha de papel a seguinte frase atribuída ao alquimista francês do século XVIII chamado Antoine Laurent de Lavoisier; “A França não precisa de seus heróis”. Essa frase teria sido dita no momento que Lavoisier caminhava para a guilhotina.
   Pois bem, 221 anos depois, essa fala de Lavoisier, pode se adaptada para contextualizar a realidade de são Sebastiao; na frase original onde se lê ‘não precisa”, podemos escrever não valoriza, não reconhece o valor aos seus heróis.
É fato notório que existem em são Sebastiao pessoas que se destacam nas mais variadas áreas de conhecimento, que englobam as praticas artísticas,  acadêmicas à as práticas esportivas e que não tem seus valores reconhecidos por seus concidadãos, amigos e vizinhos.
   Nos dias 23/24 de janeiro 2016, os atletas Nivea (Nina) e Pedro moura disputaram o campeonato Europeu de Jiu Jitsu em Portugal. Nina moura, conquistou a medalha de bronze e Pedro à medalha de ouro, em suas respectivas categorias. Esse feito foi noticiado pela televisão e publicado via faceboock e zap. Para conseguir dinheiro pra viagem, eles fizeram rifas, lavaram carros, enfim, mataram leões e amarraram tigres diariamente. Burlaram as dificuldades, viajaram para as terras lusitanas, onde venceram no tatame.  As conquistas de Pedro e Nina moura no continente Europeu foram noticiados em tempo real via faceboock.

    Eles voltaram para são Sebastiao e neste sábado dia 30/01/16 desfilaram no carro da valorosa corporação do corpo de bombeiros do DF pelas avenidas principais da cidade de são Sebastião. Esse desfile previamente  foi alardeado pelas mídias sociais. O desfile, somado à grandeza do feito, deveria penso eu, ter culminado numa participação mais calorosa por parte das pessoas que cruzaram o caminho ou se encontravam em sua linha paralela.
Não foi exatamente isso que aconteceu o desfile foi saudado de maneira um tanto timida por algumas pessoas e de forma um pouco mais efusiva por outras, mas em razao da grandeza do feito, penso eu que poderiamos ter feito algo melhor.

    São Sebastiao precisa aprender reconhecer o valor de seus heróis.  Quando isso acontecer nós deixaremos de usar pessoas distantes como referencial e passaremos ser referenciais. Afinal, são ações e feitos como o de Nina e Pedro Moura que diminuem o índice de criminalidade, de evasão escolar, que evitam que crianças descambem para a margem da lei e que despertam nos individuos um senso mais acentuado de amor proprios que os tornam protagonistas de suas proprias historias.

     Os irmãos Pedro e Nina Moura são filhos da cidade de são Sebastiao,   exemplo de superação,  são filhos de ex-oleiros Lourival (em memória) e Maria Aparecida, mãe guerreira e principal incentivadora dos filhos.  Maria aparecida sou teu fã. 

Em tempos de vésperas de olimpíadas onde o Brasil se prepara para venerar atletas nacionais e internacionais, eu me frustro com a ausência de Nina e Pedro Moura no quadro de atletas olímpicos Brasil. Digo isso por conhecer o potencial dos dois antes mesmo das medalhas pois, há mais de oito anos atrás eu comecei alimentar esse sonho. Quando eles eram praticantes exclusivos de judô,

Por isso finalizo afirmando; Nina e Pedro, Pedro e Nina, vocês são meus heróis, creio em vocês, como creio que outras medalhas virão e juntamente com as medalhas o devido reconhecimento do nosso  povo, do povo da nossa, da sua cidade.

Edvair Ribeiro 30/01/2016
Continue Reading

Para Dagomé (Por ocasião do seu aniversário).

Eu, desde minha infância tive vários heroínas e heróis. Os primeiros foram;  meu pai, minha mãe e minha avó, depois vieram meus tios, os motoristas de caminhão, os professores  e Dumont  inventor do avião. Todos esses de carne e osso.  Com advento da escola dentro das paginas dos livros- ainda sem saber ler, me deslumbrei com a saga do menino Ataliba, sua irmã Nina, seus bichinhos de estimação, o fofo gato Mimi e o cachorro Sapeca. Aprendi a decifrar as letras e alcei voos maiores no mundo da fantasia.  Vaguei nos sonhos de Wall Disney e todos seus personagens. Fiz viagens intergalácticas, me tornei companheiro dos super-heróis da extinta editora EBAL. Através da literatura conheci o falcão, meu primeiro super-herói negro das historias em quadrinhos.




Falando de ídolos e heróis
Feitos de carne e osso
Tenho José do patrocínio
Machado e Lupicínio
Tenho Mandela e Pelé
Carmem Silva e Alcione
Whitney Houston, Tina Turner
As Silvas- Chica e Benedita
Chico César  e Macalé
Enfim o universo é vasto
De negros do tipo colosso
Mas dentro de minha cidade
Tenho um nome no posto
Tenho a honra imensurável
De ter como herói notável
Nesse universo de gênios
Um amigo no dia a dia
Super baiano discreto
Muti-talento seleto
Musico poeta e pintor
Ser cem por cento humano
Compositor de destinos
Um fomentador de sonhos
Ativista irrequieto
Persistente sonhador
Crente na fé solidaria
Filho de Dona Jovita
E do padeiro Seu Teté
É meu artista preferido
O aniversariante do dia
O grande Paulo Dagomé.


Edvair Ribeiro em 29/092015.
Continue Reading